artigo em português

Epigenética e controle de genes

Pubblicato il



Epigenética e controle de genes

Controle de genes graças à epigenética

Quantas vezes você já ouviu falar que os genes não mudam?

Epigenética é a ciência que lida com a mudança do fenótipo sem alterar o genótipo.

Até alguns anos atrás, pensava-se que os genes eram os únicos a desenvolver o organismo, mas em vez disso, eles são apenas projetos e, como tal, podem ser modificados.

Podemos mudar a expressão genética através de processos químicos sem alterar o código do DNA.

Fatores nutricionais, ambientais e de estilo de vida estão entre as principais causas da modificação de nossos genes.

Bruce Lipton

Bruce Lipton, é um biólogo americano conhecido por promover a ideia de que a expressão gênica pode ser influenciada pela epigenética.

Lipton fala de epigenética em livros, vídeos, prova isso graças a cobaias, mas ele nunca trouxe um exemplo de como  o meio ambiente, dieta e estilo de vida realmente mudaram a expressão genética de uma pessoa. O ouvinte pode, portanto, acreditar em sua teoria, mas também pode ser cético se faltar um exemplo concreto, um caso de pessoa que modificou sua expressão genética graças ao meio ambiente, nutrição e estilo de vida.



Um exemplo de epigenética: Enrica R.B.

Um exemplo dessa modificação genética que encontramos em Enrica R.B.

Este estudo começou no ano de 2009 e terminou em 2011.

Enrica na época tinha 49 anos de idade, 1,65 de altura, pesando cerca de 42 kg, estrutura esbelta.

Seu problema era e ainda é osteoporose.

Enrica passou por um protocolo chamado NutriGenomaGenealogia que avalia a pessoa com certos parâmetros.

Este estudo confirma que os genes, que devem dar uma diretriz ao nosso corpo, podem ser condicionados pela dieta, estilo de vida e meio ambiente, para criar, neste caso, uma patologia.

Para entender melhor o que aconteceu com Enrica, temos que começar a partir do final do estudo, quando, em última análise, Enrica passou por testes de DNA.

Teste de DNA

Enrica tem osteoporose, a doença é confirmada pelo MOC (DXA) nos anos de 2006, 2008, 2010

MOC (DXA) 2006 Osteoporose

 

Epigenética  Epigenética

 

MOC (DXA) 2008 Doença estável

 

    

MOC (DXA) 2010 Doença estável

 

  

 

Quando ela foi submetida ao teste de DNA, a resposta foi surpreendente:

O resultado do teste de DNA: osteoporose uma posição de neutralidade

que deve protegê- você do risco de desenvolver esta doença ”.

 

O que tinha acontecido?

Por que ela desenvolveu a doença se  tinha uma baixa suscetibilidade genética à doença?

 

epigenetica  

 

 



Disbiose e a dieta de exclusão

Enrica nasceu de uma Cesariana e a impressão intestinal foi alterada , portanto começou a sofrer de

disbiose intestinal com conseqüente má absorção de nutrientes.
Essa disbiose , além da má absorção, causa mau funcionamento intestinal.
O médico assistente de Enrica R.B,  orienta a mesma a fazer uma dieta de exclusão alimentar, que não resolve o problema de sua colite.
De 1990 a 2006  a alimentaça  Enrica R.B foi a base de: arroz, batata, maçã, pouca carne e sem uso de azeite extra virgem porque o considera laxativo.

Medo e rim

Quando ela é diagnosticada com osteoporose, seu cérebro processa “medo”, o medo de cair para quebrar um fêmur,  um braço ou uma costela.

Os valores de Cálcio e Fósforo estão sempre de acordo com os exames de sangue e o Tecido Mineral ou HMS ou HTMA.

  

 

Blood tests

In October 2006                                                              In November 2009 

S-Calcium 2.34 ( 2,10-2.60)                                                  S-Calcium 2.38 ( 2,10-2.60)

 

Tecido Mineral

 

Esse medo age em seu órgão o “rim” e inicia a  integração de  Cálcio, prescrita pelo endocrinologista em 2010, mesmo sendo uma osteoporose estável,  essa  integração de  Cálcio provoca uma calcificação a nível renal evidenciada pela tomografia computadorizada com e sem contraste, o urologista suspende a dieta.

 



Conclusão

Enrica desenvolveu osteoporose graças aos três principais fatores que modificam os genes:

Nutrição: Disbiose intestinal que causa má absorção de nutrientes e dieta de exclusão.
Estilo de vida: Capacidade motora reduzida, falta de exposição ao sol e alimentação repetitiva.
Ambiente: O local de trabalho provoca uma falta de Vit. D devido a não exposição ao sol.

Os três principais fatores então se cruzam, aumentando a possibilidade de mutação da expressão gênica até que se desenvolva uma patologia.

Futuro da epigenética

Após 10 anos, a ciência fez progressos notáveis, especialmente na pesquisa de testes de DNA.

Hoje podemos fazer testes de DNA para descobrir quais alimentos estão sintonizados com o nosso corpo, ao mesmo tempo, mudar aqueles que são nossas expressões genéticas.

Podemos ter um Mapa de Alimentos desenvolvido com o teste GenoBalance pela equipe médica / científica do Polo Scientifico di Ricerca ed Alta Formazione.

O teste GenoBalance é um método inovador que integra anamnese pessoal (distúrbios, patologias, condições fisiológicas) e características genéticas individuais (testes de DNA) para definir o nível de condicionamento dos alimentos, ou seja, se eles interagem positiva ou negativamente com o estado de saúde.

Os alimentos examinados pelo mapa (mais de 200) e são agrupados por tipo (carne branca, legumes, frutas, etc.)




Fotos e documentos

Todos os documentos fotografados neste post foram feitos anônimos para privacidade, são protegidos por direitos autorais e não podem ser reproduzidos, mesmo parcialmente sem o consentimento de Antonio G. Traverso.

Outros documentos estão disponíveis a partir da página 213 na p. 241 no livro 7 Miliardi di Diete

Os documentos originais estão na posse da Sra. Enrica R. B.

O teste de DNA foi comentado pelo Dr. Flavio Garoia  PhD Biologist, Geneticist

Agradecemos a Enrica R. B, que gentilmente os disponibilizou para a preparação do livro 7 Miliardi di Diete

(Versão da Dieta Genômica em Inglês)

Versão original em italiano

Versão inglesa

 



@DrTraverso © detentore del Copyright 2018

Disclaimer

 

Fonte

7 Miliardi di Diete